quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

No crepitar da chama

Cintilam hoje os vitrais nas igrejas
Descansa a Natureza embranquecida
No céu escuro acordam as estrelas...

E uma luz mais viva e brilhante
Aponta-nos a estrada luminosa
Á qual se rende o coração humano,
Perdido em labirintos lacrimosos.

Há melodias de cristal no ar
Ecos de preces e hinos de esperança.
Nas mesas largas o esplendor das velas
Prepara o culminar da Noite Santa.

O calor da família nos conforta
E talvez mais humildes, mais humanos
No crepitar da chama nos unamos
Como um botão de flor quase a sorrir.

Manuela de Azevedo, Florilégio de Natal

Hoje, alguém ainda jovem, vítima de doença prolongada
Não resistiu e já não vai ter noite de Consoada!
Mas se viver era apenas sofrer
A morte pode ter sido o melhor presente...

JM

...
Da vida não há mais que sorrisos
e lágrimas.
Da morte levamos a vida
embrulhada num casulo de esperanças
e de vitórias,
pois até na derrota
vencemos
se soubermos colocar-nos de pé.

Mafalda Chambel, Florilégio de Natal

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Criança sem idade

...
Deixem-me ser criança e acreditar
que posso limpar o mundo...
imaginar que posso voar,
passear no meio da minha verdade...
Quero ser criança sem idade!!!

Ana Lóio, A Poesia é feita aos Molhinhos ou em Verso

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Amigo ...


Quantas vezes não conseguimos ser verdadeiros amigos dos nossos amigos?!
JM

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Um dia será Grande

Acordar para um dia que a somar a muitos outros a irá fazer Grande
Um dia normal de escola, quando ainda há trabalhos a apresentar
Estando um pouco febril, o ben-u-ron foi o paliativo necessário para não ter de faltar
Alguns amigos não esqueceram o dia especial
A mãe não foi trabalhar, o pai e a mana chegaram mais cedo,
Os avós estiveram presentes, os padrinhos e alguns tios e primos telefonaram
Algumas surpresas e apesar da crise as prendas não faltaram!
Foi um dia feliz, a caminho de Ser Grande!

JM

domingo, 14 de dezembro de 2008

Que eu leve ...

Onde há ódio, que eu leve o Amor;
Onde há ofensa, que eu leve o Perdão;
Onde há discórdia, que eu leve a União;
Onde há dúvida, que eu leve a Fé.

Onde há erro, que eu leve a Verdade;
Onde há desespero, que eu leve a Esperança;
Onde há tristeza, que eu leve a Alegria;
Onde há trevas, que eu leve a Luz.

São Francisco de Assis

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Natal é cada dia...

Natal é ...
Festejar o nascimento
Compreender melhor o outro
Ser solidário
Cada dia deve ser Natal
Mas a realidade tem extremos
No mesmo dia em que uma amiga feliz festejou o seu aniversário
Um jovem abandonado pela mãe sobrevive não se sabe bem como...
E a mãe aparentemente indiferente sobrevive à sua maneira
...como se não tivesse filho?!...
Compreender é preciso, mas não basta
É preciso intervir para preservar a família, cada vez mais em risco de desagregação.

JM

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

Teresa Alegria!


Se há pessoa que não me lembro de alguma vez ter visto aborrecida, Teresa tu dás razão ao filósofo:

NÃO É A VIDA MIL VEZES CURTA DEMAIS PARA NOS ABORRECERMOS?

Nietzsche

Mantém-te assim por muitos e muitos anos a partilhar a tua alegria e os teus sorrisos. A imagem já mereceu um sorriso?Foi esse o objectivo. Felicidades.

JM

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Guardar um segredo

Saber guardar um segredo
Satisfazendo um desejo
Parece coisas simples
É missão impossível para muitos...
Seja lá por que razão for
Pelo que me é dado conhecer
A incontenção verbal
Caracteriza muita gente
E contam-se pelos dedos
As pessoas em quem se pode confiar...
É importante ensinar as crianças
E os jovens a saber guardar segredos.

JM

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Espírito de Natal

A casa encheu-se de família
que não se via há três semanas
A família reuniu-se já
com planos para 24
foi bom!
O presépio
o musgo
o azevinho
e o pinheiro já coabitam
connosco neste apartamento
e já nos lembram
que em breve vai ser Natal
é uma altura do ano especial...

JM

Chuva Mística

Ilumina-se a igreja por dentro da chuva deste dia,
E cada vela que se acende é mais chuva a bater na vidraça...

Alegra-me ouvir a chuva porque ela é o templo estar aceso,
E as vidraças da igreja vistas de fora são o som da chuva
ouvido por dentro...

Fernando Pessoa, Ficções de Interlúdio

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Um sorriso triste

Guardo para sempre na memória o sorriso mais triste que alguém possa imaginar!
Um sorriso misto de força, coragem e que talvez traduza ainda um estado de certa inconsciência ou dormência face a uma realidade afectiva irreversível ...partilhar sorrisos tristes por vezes é preciso e é muito difícil ...

JM

Adeus Bli


Bli
Simplicidade
Alegria contagiante
Para quem a solidariedade nunca foi palavra vã
Muito determinada
Poucos obstáculos a detinham
Amou e foi amada
O seu coração era do tamanho do mundo.
Foi uma digna vencedora como pessoa e como profissional.
Adeus.
Como tu vou continuar a gostar de borboletas!

JM

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Inverno antecipado

Estações são como emoções...

sábado, 29 de novembro de 2008

Hoje perdi uma Amiga

Mais uma vez saíu comprovada a máxima "as más notícias sabem-se depressa". Passado pouco tempo de ver e ouvir a notícia do aparatoso acidente de viação com duas vítimas mortais na CREL, tocou o telefone : uma amiga dava-me a triste notícia - a Isabel e o marido morreram. De facto para se morrer só é preciso estar vivo!
Estudamos, estagiámos, trabalhámos juntas e convivemos durante vários anos, é impossível esquecê-la e é uma perda insubstituível para todos quantos privaram com ela... fará muita falta ao seu filho! Que descanse em PAZ.

JM

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Sem ondas

Espinhos...Nada a perder!

Espinhos e voltas que a vida dá:
com 30 anos
já viveu numa barraca
e já foi realojado
já esteve 7 anos preso
e passados 2 anos
em liberdade condicional
com mais 2 para cumprir
lamenta não ter ficado
os 11 lá dentro
porque cá fora a família
está pior do que a deixou
a mãe e o padrasto
mais dependentes do álcool
os irmãos mais crescidos
mas ela com 10 anos
ainda não tinha ído à escola
ele com 16 já tinha a primeira condenação
de prisão, embora suspensa (até quando?!)
é que na escola que ele anda já eu fui professor -sic
Um e outro retirados aos pais pela protecção de menores
e agora "os velhos" ainda se "enfrascam" mais.
- E eu o que faço? O que sou? O que tenho?
- Nada. Faço o que calhar...
- Não tenho nada a perder.

Obs. excerto de um registo mental dos vários do dia

JM

domingo, 23 de novembro de 2008

Rosas


"Fica sempre um pouco de perfume nas mãos que oferecem rosas" - acredito nesta máxima. Gosto de oferecer e ter rosas!
JM

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Se os filhos fossem ...

...como os pais querem...
não havia tantos
desesperados
desiludidos, tristes
e a culpar-se
questionando-se
por algo que fizeram
ou deixaram de fazer
porque há insucesso
e abandono escolar
comportamentos desajustados
porque são chamados à escola
a polícia bate-lhes à porta
e a justiça envia-lhes cartas...
Sentem-se impotentes muitos pais!
Desorientados e em sofrimento
estão também muitos jovens!

JM

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Desânimo

Urge dizer não ao desânimo generalizado que nos rodeia!


JM

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Entusiasmo

Como podemos fazer algo impossível?
Com entusiasmo.

Paulo Coelho, O Monte Cinco

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

voar...rastejar

Há dias que bem nos esforçamos para voar sem asas
e incentivar outros a não virar as costas às dificuldades
e sentimo-nos gratificados;
Outros dias sentimo-nos a "rastejar",
sem capacidade/recursos para inverter coisa nenhuma!
(refiro-me ao campo profissional)
JM

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

mortos...vivos...

Quem não tem mortos
não tem vivos também

António Lobo Antunes, Arquipélago da Insónia

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Âncoras

Há pessoas como âncoras,
bem firmes,
permitem a outras flutuar
a bordo do barco da vida
sem deixar de acreditar
que vale a pena sonhar!

JM

domingo, 19 de outubro de 2008

Conto de embalar

Fiz com as fadas aliança.
A deste conto nunca contar.
Mas como ainda sou criança
Quero a mim própria embalar.

Estavam na praia 3 donzelas
Com 3 laranjas num pomar.
Nenhuma sabia para qual delas
Cantava o príncipe do mar.

Rosas fatais, as 3 donzelas
A mão de espuma as desfolhou.
Nenhum soube para qual delas
O príncipe do mar cantou.

Natália Correia

segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Hoje não me esqueci!

Ás vezes esquecemo-nos de lembrar ...
Datas importantes
Pessoas significativas
Momentos em que gostávamos de ter dado uma "palavrinha"
Falar, ouvir, partilhar alegrias e tristezas
Momentos em que se deseja saúde, sorte, bons dias e bons anos de vida!
Hoje não me esqueci!
Comecei ontem a lembrar-me enviando um postal virtual!
Entretanto falámos e o postal não chegou!
O real continua a ser preferível, sem dúvida.

JM

quinta-feira, 2 de outubro de 2008

Reflectir com Sartre

O importante não é o que fazem do Homem,
mas sim o que ele faz ao que fizeram dele.

J. P. Sartre

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

Pedras no caminho?


Pedras no caminho?

Guardo todas, um dia vou construir um castelo...


Fernando Pessoa

terça-feira, 16 de setembro de 2008

Já sinto saudades das férias recentes...





Saudades do campo, da praia, da tranquilidade!















quinta-feira, 11 de setembro de 2008

terça-feira, 2 de setembro de 2008

Não sinto falta do relógio

Hoje escrevo com o relógio à distância
E em tempo de férias não sinto nada a sua falta
Ele, por sua vez prossegue a marcação do tempo...
Muita gente ao mesmo tempo nasce e morre
E os ponteiros movimentam-se indiferentemente!

Importante:
Viver em pleno cada dia
Dar e receber muitos "mimos"
Passear e descansar q.b.
E poder não fazer nada também sabe bem
A quem não nasceu em berço de ouro!

Agradeço os "mimos" pelo meu aniversário:
familiares, amigos e colegas rechearam o dia com muita alegria.
JM

sexta-feira, 22 de agosto de 2008

Em si mesmo

Ri como a manhã
Ensolarada e colorida
E cada gargalhada
É um hino à vida

Ri como se ria
No tempo em que havia
Tempo para rir
Ri como uma janela
Aberta de par em par
Ou uma caravela
Branca a esvoaçar

Ri sem passividade
Abandono ou dependência
É a luminosidade
Do riso e a sua essência

Ri com tal ternura
Tal ímpeto e alegria
Que inventa, estou segura,
Em si mesmo, a poesia!

Ofélia Bomba, Para Ti - Poemas

quarta-feira, 20 de agosto de 2008

Máxima importante!

NÃO ADIAR NADA QUE TRAGA RISOS E ALEGRIA Á NOSSA VIDA

Autor desconhecido

Máxima que me foi recordada por alguém que está em férias, imbuída do espírito de que devemos usufruir dos prazeres da vida e não apenas fazer dela um modo de sobrevivência, desinteressante, desgastante ... e que tendencialmente nos "formata" para o menos bom, fazendo muitas vezes com que não se valorizem pequenas/grandes coisas boas que existem à nossa volta.

Força então para inverter a referida tendência (aos leitores que a têm!) e repetir a máxima com determinação quer estejam em férias ou sobretudo se não estão!

JM

sábado, 16 de agosto de 2008

Amor

Como alguém disse "o amor não é eterno, eterna é a capacidade de amar"

quinta-feira, 14 de agosto de 2008

O avesso das pessoas

O lado oculto
O lado secreto
O interior
Os sentimentos, os valores...
O que nem sempre
Se quer mostrar
ou dar a conhecer
Tudo isto pode ser
O avesso das pessoas!
É tão difícil conhecê-las
Sem as aprofundar...

JM

quarta-feira, 6 de agosto de 2008

Rua

Rua território limitado
e também sem limites!
Com muitas portas de entrada
e por vezes poucas saídas!
Rua, alternativa
Rua opção
Rua cúmplice
Rua castigo...

JM

domingo, 3 de agosto de 2008

Aparências

Parecem traduzir algo ...
Mas nem sempre há coerência
Por vezes confundem e iludem
Mascaram realidades
São como trajes que se usam
As aparências

JM

sexta-feira, 1 de agosto de 2008

Pensamento

Com o punho cerrado,
não se pode trocar
um aperto de mão

Indira Gandhi

quarta-feira, 30 de julho de 2008

Disponível...

No novo "dicionário da administração pública", disponível significa dispensável, "descartável" e ficar a sabê-lo por notificação escrita, sem sensibilisadores, mediadores ou o que quer que se lhe pudesse chamar para acautelar o impacto !
Não interessando os meios para atingir os fins, de um dia para o outro, pessoas sentem-se tratadas como coisas que se utilizam e se deitam fora, sem o mínimo de respeito!
Mas também as coisas nos devem merecer cuidado ao mudar de lugar!

Registo aqui uma palavra de solidariedade a esses colegas que atravessam tempos difíceis e que precisam de manter-se saudáveis para poderem futuramente trabalhar noutros sectores e serviços, onde possam ser úteis e onde não estejam nem se sintam a mais!
JM

sábado, 26 de julho de 2008

Viver a vida com paixão

Reflectir com a Biologia Emocional
através das palavras contidas em "Mutantes" da autoria do médico indiano Deepak Chopra:
"Somos as únicas criaturas na face da terra capazes de mudar nossa biologia pelo que pensamos e sentimos! Nossas células estão constantemente bisbilhotando nossos pensamentos e sendo modificados por eles. Um surto de depressão pode arrasar seu sistema imunológico; apaixonar-se, ao contrário, pode fortificá-lo tremendamente."
A importância de ver o lado positivo das coisas e viver a vida com paixão como forma de nos mantermos saudáveis.

JM

quinta-feira, 24 de julho de 2008

...crianças...nossas mestras

É preciso desdramatizar a vida!
Reflectindo com o poeta:
Não há tristezas
Nem alegrias
Na nossa vida
Assim saibamos,
Sábios incautos,
Não a viver,
Mas descrevê-la
Tranquilos, plácidos
Tendo as crianças
Por nossas mestras,
E olhos cheios
De Natureza...

Fernando Pessoa, Odes de Ricardo Reis

terça-feira, 22 de julho de 2008

Amizade(s)

Amizades são laços, afinidades,
interesses, cumplicidades...
de infância, de escolas, de viagens...
de anteriores/actuais locais de trabalho...
Amizades são marcas, códigos,
linguagens, segredos !
Amizades antigas e recentes,
Mantêm-se
Alimentam-se
Alteram-se: há também as virtuais.
Feliz por ter amizades reais
Gente sensível, lutadora, que não desiste
Nem se acomoda facilmente
E que sobretudo aprecia a VIDA!

JM

segunda-feira, 21 de julho de 2008

Conhecimento da vida

O mais que, em geral, recebemos da vida, é um conhecimento dela que chega demasiado tarde.

António Lobo Antunes, Quem Me Assassinou Para Que Seja Tão Doce?

sexta-feira, 18 de julho de 2008

...pobre malabarista...

...escreve, anda lá, pobre malabarista
és isto e sabes que não te serve de nada
mas não podes fugir a isto
escreve ainda, cego que tocas violino na rua
como se alguém estivesse a ouvir.

Rodrigo Guedes de Carvalho, Canário

quinta-feira, 17 de julho de 2008

Fantoches e/ou marionetas?!

Diferindo pela sua forma de manipulação
Fantoches e/ou marionetas
São uma espécie de bonecos animados
Que divertem muitos espectadores
Crianças e adultos
Que se abstraiam
Das mãos ou fios invisiveis

Fantoches e/ou marionetas
Quantas pessoas a sério ou a fingir?!
Quantos a manipular?!
Quantos manipulados?!
E quantos não se conseguem abstrair
Do palco e cenários em que representam
Tendo que trabalhar
Sem se conseguir divertir...
JM

terça-feira, 15 de julho de 2008

Quando o tempo não chega ou sobra...

Ter pouco tempo e muito para fazer...
Ter todo o tempo e ter pouco ou nada para fazer...
Em muitas das situações confrontamo-nos
com ansiedade e stress para gerir
Também há os que nunca têm tempo,
não param para pensar e são felizes assim...
Mas há os que se sentem impotentes
não deixando de agir
quase deixam de pensar!
Há cada vez mais pessoas a terem muito tempo
mas que não ocupam de forma útil
algumas estão desempregadas e desesperadas
algumas são jovens
outras mais velhas,
reformadas sem ocupação,
quase deixam de ser pessoas,
algumas foram colocadas em lares,
que mais parecem salas de espera da morte!
O tempo sobra-lhes !
Sobra igualmente a muitas crianças e jovens
que se encontram de férias escolares
com pouco para fazer e sózinhas em casa
enquanto os pais lutam contra o tempo!!!
Outros entregues a si próprios na rua...
Em suma:uns excessivamente preenchidos,
uns e outros quase em situação de vazios existenciais...

JM

domingo, 13 de julho de 2008

quinta-feira, 10 de julho de 2008

Rijos corações

O mal que se vê é aguilhão para o bem que se deseja;
(...)
o querer se apura, a visão do futuro nos surge mais intensa a cada golpe novo.
(...)
quero a terra povoada de rijos corações que seguem os calmos pensamentos e a mais nada se curvam.

Agostinho da Silva

sexta-feira, 27 de junho de 2008

Sossego...solidão

No interior do país, no alentejo em particular assiste-se a uma desertificação assustadora!
Na terra onde cresci praticamente não há crianças, a escola foi transformada em casa mortuária!
Durante o dia poucas pessoas se veêm nas ruas e as que existem são idosas, geralmente de vestes negras, com histórias intermináveis para contar quando surge um interlocutor novo para as ouvir.
Há sossego, mas sobretudo muita solidão!
JM

sábado, 21 de junho de 2008

Azul


Quero ficar mais azul
Quero ver e ouvir o mar bem perto!
JM

quinta-feira, 19 de junho de 2008

Aconteceu

O hábito de viajar diariamente de comboio sem ter de comprar bilhete, fez com que hoje ao mudar de itinerário não me lembrasse de o comprar.
Na primeira viagem não me apercebi e ninguém deu por nada
no regresso, reincidente, sem dar por isso, fui apanhada!
Com a aproximação do sr. fiscal
e certa de que poderia ter de pagar uma multa
(não sabia era o montante 125€!)
expliquei o sucedido ,
este afirmando saber bem quando é enganado,
aceitou a justificação,
pedindo para sair na próxima estação,
e comprar o bilhete em falta.
Gastei não 125€ mas 1,15€, o justo valor.
Caso para dizer que é muito confortante
que não duvidem de nós quando temos razão.
Não sei como reagiria se a minha palavra fosse posta em causa,
mas de facto não tinha forma de provar o contrário.
Lembrei-me de uma máxima proferida por alguém, noutro contexto, que me dizia
" ao hospital e à prisão vai parar qualquer um e às vezes quando menos se espera" !
A avaliação das situações, essa em parte é subjectiva e muitas vezes não tem final feliz!!
Assim, hoje a nossa selecção nacional foi eliminada mas isso foi objectivo 2-3 Alemanha: paciência...foi bom o entusiasmo enquanto durou.

JM

quarta-feira, 18 de junho de 2008

Olhos...

Os olhos...
Vêem
Observam
Sentem
Sorriem
Falam
Estimulam
Criticam
Suplicam
Omitem
Mentem
Sofrem
Choram de tristeza, mas também de alegria!
Há olhos que parecem indiferentes a tudo e a todos
são olhos frios, vazios...
Os olhos
cruzam-se
fixam-se
confrontam-se
evitam-se
escondem-se
afirmam-se
Há olhos a que ninguém poderá ser indiferente
iluminam todo o corpo de quem,
pela força e exemplo de coragem,
vive cada dia,
como se cada obstáculo
se trate de uma oportunidade a não perder!

Obs. Escrevi este apontamento num dia em que falei com alguém a quem não consegui praticamente ver os olhos, porque falou com eles postos no chão e com outra pessoa que parecia ter os olhos no céu, grata por estar viva apesar de todas as vicissitudes involuntárias por que tem passado nos últimos tempos e que se prendem com a sua saúde.
JM

terça-feira, 17 de junho de 2008

nada ouvir...nada dizer

Certos dias os ouvidos
transbordam de tanto ouvir!
Ouvem o que querem,
o que conseguem
e muitas vezes
o que lhes querem impingir!

Certos dias os ouvidos
é como se desejassem
ensurdecer,
ficar silenciosamente
sem nada ouvir
e também nada dizer!

Sobrecargas...
Necessidade de férias?!
Alterações na forma de ser e estar?!
Um misto, certamente...

JM

sábado, 14 de junho de 2008

Quase

Um pouco mais de sol
- eu era brasa,
um pouco mais de azul
- eu era além.
Para atingir, faltou-me
um golpe de asa...
Se ao menos eu
permanecesse aquém...
...Quase o amor,
Quase o triunfo e chama
Quase o princípio e o fim
- quase a expansão...
Entanto nada
foi só ilusão!

Mário de Sá Carneiro

sexta-feira, 13 de junho de 2008

Pessoa

Para assinalar o 120º aniversário do nascimento de Fernando Pessoa nada melhor que usar as suas próprias palavras pensadas para um dos seus heterónimos, Alberto Caeiro:

PASSO E FICO COMO O UNIVERSO

segunda-feira, 9 de junho de 2008

...verdadeira...errada...

Temos todos que vivemos,
Uma vida que é vivida
E outra que é pensada,
E a única vida que temos
É essa que é dividida
Entre a verdadeira e a errada.

Qual porém é a verdadeira
E qual errada, ninguém
Nos saberá explicar;
E vivemos de maneira
Que a vida que a gente tem
É a que tem que pensar.

Fernando Pessoa

quarta-feira, 4 de junho de 2008

Alicerces...

Colher implica semear
Sem alicerces não é possível edificar
Mas em termos humanos está tudo em aberto...
Como alguém disse "o caminho faz-se ao caminhar"!
É importante dar passos para avançar e ter consciência que os recuos fazem parte da caminhada.
JM

terça-feira, 3 de junho de 2008

Ninhos...


Como aves alimentam
as suas crias,
para que estas possam voar,
há mães/pais que se desdobraram
para alimentar filhos adultos
que já "voaram alto",
mas entretanto,
tornaram-se prisioneiros
no seu próprio "ninho",
não podendo assegurar
o seu sustento!
Ninhos cheios a esvaziar-se...

JM

segunda-feira, 2 de junho de 2008

Paisagem


Passavam pelo ar aves repentinas,
O cheiro da terra era fundo e amargo,
E ao longe as cavalgadas do mar largo
Sacudiam na areia as suas crinas.

(...)
Eram os caminhos num ir lento,
Eram as mãos profundas do vento
Era o livre e luminoso chamamento
Da asa dos espaços fugitiva.
(...)

Eram os pinheiros onde o céu poisa,
Era o peso e era a cor de cada coisa,
Asua quietude, secretamente viva,
E a sua exaltação afirmativa.

Era a verdade e a força do mar largo,
Cuja voz, quando se quebra, sobe,
Era o regresso sem fim e a claridade
Das praias onde a direito o vento corre.



Sophia de Mello Breyer Andresen

No dia da criança...

No dia
da criança,
Sem vida
Uma tartaruga
adulta, deu à costa vicentina!
Despertou o interesse e
a atenção da criançada e adultos
Foi admirada
E acariciada!
JM

quinta-feira, 29 de maio de 2008

No dia em que tartaruga hibernou...

Será que a tartaruga hibernou?!
Da sua eventual morte
a sua dona não se conformou.
Com 6 anos apenas sofre-se muito
pelos nossos amigos animais!
Já passei pelo mesmo e até já fiz funerais
com campas e flores e outros rituais!

Ao fim de um dia comprido
e intensivo de formação
O melhor é "hibernar"
para uma noite de sono,
para amanhã estar em forma
para um novo dia!
Dia de muito trabalho
segundo a minha previsão
que não falha seguramente,
assim me falasse verdade
Toda a Gente!
JM

quarta-feira, 28 de maio de 2008

Correr riscos

Pobre de quem teve medo de correr riscos. Porque esse talvez não se decepcione nunca, nem tenha desilusões, nem sofra como aqueles que têm um sonho a seguir.

Paulo Coelho, Na margem do Rio Piedra Eu Sentei e Chorei

terça-feira, 27 de maio de 2008

Ensinar a pescar...

Os provérbios contêm ensinamentos
que convém não menosprezar
e há momentos dei por mim a pensar
no seguinte:
"Não dês o peixe, ensina a pescar!"
De facto, várias vezes,
somos postos à prova
sobre a nossa prática.
Em casa e no trabalho,
no dia a dia,
quando temos oportunidade
de "ensinar a pescar"
estaremos à altura de tal desafio?!
Nem sempre é fácil
mas é preciso começar e continuar,
acreditar nas nossas capacidades,
ter consciência das nossas limitações,
tal como das dos outros.
É preciso não deixar
de ser pacientes
e exigentes q.b.
e nunca desistir ...
...de ensinar
e aprender
mesmo com aqueles que,
aparentemente,
"pescam" menos que nós
ou que ainda não conseguem pescar!
JM

sábado, 24 de maio de 2008

Arcoíris na Arrábida


Num dia em que o sol
se alternou com a chuva
foi tempo de nos brindar
com arcoíris não apenas
um nem dois mas três!
Quando o arcoíris aparece,
diz a minha mãe que é Jesus
que nos acompanha,
neste caso,
em viagem num sábado
de relaxe e descontração!
JM

Sonhei que sonhava

Ontem sonhei que sonhava
e me mantinha desperto
contente por me escapar
de um mundo que me era incerto

seguro porque voltava
ao que é lógico e real
à vida que firme sabe
do que é bem e do que é mal

quando tornei a dormir
já rompia a madrugada
e na clara luz não tinha
certeza alguma de nada.

Agostinho da Silva, Poemas

sexta-feira, 23 de maio de 2008

Com uma mão à frente e outra a trás...

Muitos portugueses andam
Desesperados,
Impotentes,
Com uma mão à frente e outra a trás...
Sendo o país campeão das desigualdades sociais
É alarmante,
Chocante,
Indigno, o grau de pobreza
Que afecta tanta gente!
E o Estado, de protecionista
Passou a "autista"!
Quem é que nos acode?
O Banco Alimentar Contra a Fome
E outras solidariedades que tais
Sem as quais
Não será possível
Andar alegremente
De mãos dadas
Nunca mais??

JM

quinta-feira, 22 de maio de 2008

Abro os olhos

Rápidas mãos frias
retiram uma a uma
as vendas da sombra
Abro os olhos
Ainda
estou vivo
No centro
de uma ferida ainda fresca.

Octavio Paz, Rosa do Mundo, Poemas para o Futuro

quarta-feira, 21 de maio de 2008

Um olhar sobre Sintra


Registo um olhar sobre Sintra
Uma manhã de Maio
Igual a outras manhãs
E a outros dias
Em que se cruzam
A calma e a curiosidade dos turistas
Com a pressa dos que saiem a correr do comboio
Que têm de correr para o próximo autocarro
Que os leve ao alto da serra,
Onde para além de paisagem para admirar,
Há muito trabalho á espera!
JM

terça-feira, 20 de maio de 2008

Quero acreditar...

Quero acreditar
Que haverá cada vez menos
Inocentes entre culpados
Quero acreditar
Que há boas razões para acompanhar
Seres autores e seres vítimas
De tudo descrentes
Desconfiados
Frios
Gelados!
Ainda que brilhe o sol
Alguns parecem só ver a noite escura
e viverem em grande amargura...
Tristes os inocentes
que são acusados e condenados!
Quero acreditar numa justiça mais justa!
JM

Mergulho...

O que afoga alguém não é o mergulho, mas o facto de permanecer debaixo de água.

Paulo Coelho, Manual do Guerreiro da Luz

domingo, 18 de maio de 2008

Lutar...Remar...

Dias calmos
por vezes não acalmam
"ondas revoltas e imensas"
na vida de muitas pessoas
que lutam
como que remando
contra marés
em que é dífícil "aguentar barcos"
onde entra água
que teima em afundá-los.
Resistente a tripulação
com algum sangue frio
e força no coração
que por sua vez teima
em prosseguir viagem,
remando sem naufragar!

JM

Dia calmo


Uma após uma as ondas apressadas

Enrolam o verde movimento

E chiam a alva espuma

No moreno das praias.

Uma após uma as nuvens vagarosas

Rasgam o seu redondo movimento

E o sol aquece o espaço

Do ar entre as nuvens escassas.

Indiferente a mim e eu a ela,

A natureza deste dia calmo

Furta pouco ao meu senso

De se esvair no tempo.

Só uma vaga pena inconsequente

Pára um momento à porta da minha alma

E após fitar-me um pouco

Passa, a sorrir de nada.


Fernando Pessoa, Odes de Ricardo Reis

sábado, 17 de maio de 2008

Mar sonoro


Mar sonoro, mar sem fundo, mar sem fim,

A tua beleza aumenta quando estamos sós

E tão fundo intimimamente a tua voz

Segue o mais secreto bailar do meu sonho,

Que momentos há em que suponho

Seres um milagre criado só para mim.


Sophia de Mello Breyner Andresen

sexta-feira, 16 de maio de 2008

Rugas

Tua força interior e tuas convicções não têm idade.

Madre Teresa de Calcutá

quinta-feira, 15 de maio de 2008

Eras...Lapas...Pessoas

Como eras
se agarram a paredes
e lapas a rochas
há pessoas a agarrar-se
a outras pessoas
fazendo delas
suas tábuas de salvação!
As eras ascendem a dominar
e as suas raízes
permitem ir longe...
As lapas sobrevivem
às marés
dentro e fora de água
conservam intacto o seu recheio!
As pessoas
com pouco ou muito dentro de si
procuram no exterior suporte
para o seu equilíbrio
às vezes formas de compensação
que não passam de mera ilusão
e às vezes apoios reais
que alimentam seus ideais!
Algumas pessoas
transpostas para o reino vegetal
lembram-me eras viçosas
subindo paredes e árvores
Outras pessoas
transpostas para o reino animal
comportam-se como lapas
têm carapaças resistentes
não deixando de ser frágeis
Cada pessoa é única,
na sua dimensão bio-psico-social
nem sempre se "agarra" a algo ou a alguém
e pode não ser possível agarrá-la a tempo!

JM

terça-feira, 13 de maio de 2008

Milagres

Para quem acredita neles
Para quem tem fé
Milagres
Não existem todos os dias
Mas acontecem.
Para doentes
Perdidos, aflitos
Desiludidos
Desesperados
Pecadores
Crentes
Existem Santos.
Cada 13 de Maio em Fátima
É tempo de agradecer, de pedir, de rezar
Quanto espírito de sacrifício
E tamanha fé é possível testemunhar!
JM

segunda-feira, 12 de maio de 2008

Dores

Há dores e dores!
Há quem tenha grande resistência
E quem não tenha resistência nenhuma
Quem se submeta voluntariamente
E quem não tenha outra alternativa
Quem sofra uma vida inteira
E não mostre uma lágrima
E quem chore por tudo
E por nada
Há quem se sacrifique
Por um sonho
Que quer tornar realidade
E quem não consegue sequer
Sonhar!
Especialmente os que sonham
Acreditam que vale a pena
Lutar!
Mesmo com dores para suportar
Que mais cedo ou mais tarde
Hão-de passar!
JM

sexta-feira, 9 de maio de 2008

Rupturas

Choques, confrontos
desencontros, rupturas,
corte de laços...
escasseiam e por vezes
desaparecem
os amigos, os vizinhos,
e os familiares.
Os mesmos que ajudaram
a tornarem-se casulos
também lhes lembram
a liberdade!
Muitos permanecem sózinhos,
continuam como que enclausurados
embora não atrás das grades!
Sujeitos-objectos
de aventuras e loucuras
pagam as respectivas "facturas"!!
JM

terça-feira, 6 de maio de 2008

Asas

Asas no ar
são equilíbrio
são leveza
são liberdade
são beleza!
Contempladas de baixo
são um abraço
inspiram tranquilidade
têm o céu como limite
o azul também do mar
que podem sobrevoar!
Quem me dera ter asas
e poder voar!

JM

domingo, 4 de maio de 2008

Dia da Mãe

Ser cada dia a melhor mãe
é um desafio
Ver as filhas crescer saudáveis
é um privilégio
Ter a melhor mãe desde sempre
e até hoje
é uma realidade
e poder usufruir
de tudo isto em pleno
é maravilhoso!
Feliz por ter e ser Mãe em
mais este dia da Mãe!
JM

quarta-feira, 30 de abril de 2008

Quantas vezes?!

Quantas vezes
Queremos explicar o inexplicável
Tentamos adiar o inadiável
Quantas vezes
Não vemos
Ou fingimos não ver o óbvio
Ultrapassamos todos os limites
E até atingimos o impossível?!

JM

Sol


Há pessoas que transformam o Sol numa simples mancha amarela,
mas há também aquelas que fazem de uma simples mancha amarela o próprio Sol.

Picasso

segunda-feira, 28 de abril de 2008

Anoitecer

Recordo um anoitecer
tranquilo
com o mar
calmo...
a deixar
saudades,
do som
do cheiro
de tudo!
JM

quinta-feira, 24 de abril de 2008

Liberdade

A liberdade é amanhã
é hoje em ambição
após uma semana intensa
e de grande pressão
antecipo o encontro
com a natureza
com o mar!
A sua imensidão
é uma porta aberta
será tempo de reflexão
que me desperta!
A liberdade é poder voar
sonhar ao ar livre
ir e voltar!
JM

quarta-feira, 23 de abril de 2008

Fazer e ser

Ocupamos grande parte do nosso tempo a fazer coisas, a envolvermo-nos em situações que nos absorvem e por vezes nos perturbam, fazendo-nos sentir impotentes!

Não deixando de ser o que somos na forma de agir e nos relacionar com os outros, é importante que consigamos separar claramente a esfera profissional da familiar, sob pena de haver prejuízo essencialmente para a segunda.

O que somos tem de prevalecer ao que fazemos, pois se houver uma colagem excessiva, ao deixarmos de fazer algo (desempenhar determinada função profissional) corremos o risco de não ser reconhecidos simplesmente como pessoas que somos.

Conheço casos em que os próprios só se aperceberam das consequências nefastas de tal dedicação excessiva quando, "de repente", ficaram aposentados! Olharam à sua volta e os chefes e os colegas não estavam por perto, os amigos não tinham sido preservados e as famílias não tinham tempo para lhes dedicar! O mesmo tempo que também não tinham tido anos antes... e que o vazio preenche muitos quotidianos e não escolhe idades não será novidade para ninguém.

JM

segunda-feira, 21 de abril de 2008

Pedras...

Um monte de pedras
deixa de ser um monte de pedras
no instante
em que um único homem o contempla
acalentando, dentro dele,
a imagem de uma catedral.

Antoine de Saint-Exupéry

domingo, 20 de abril de 2008

Quem sabe...

Vos direi o que é o tal
alicerce em que me fundo
todos somos limitados
não é porém o mundo

não ireis pois por ninguém
e por mim menos que nada
a vida vos seja guia
consultada e meditada

ou quem sabe se sonhada
ou quem sabe se inventada.

Agostinho da Silva, Poemas

quinta-feira, 17 de abril de 2008

Ficção ou realidade?!

Se às vezes não restam dúvidas em que plano nos situamos,
outras há em que é difícil perceber ou aceitar
a natureza dos factos ou actos com que nos confrontamos.
Muitas vezes, a realidade apresenta-se-nos distorcida
e os "actores" iludidos ou desiludidos,
em registos de pensar irreflectidos,
parecendo alienados e até alucinados,
agem a seu bel prazer,
olham mas não veêm o essencial,
confundem a realidade com a ficção
ou será o inverso?!

JM

sábado, 12 de abril de 2008

Fazer...sonhar...começar!

O que quer que seja que possa fazer,
ou que possa sonhar,
comece.
A audácia comporta em si mesma talento,
força e magia.
Comece imediatamente.

Goethe

quarta-feira, 9 de abril de 2008

Reflectir

O ignorante afirma, o sábio duvida, o sensato reflecte.

Aristóteles

quarta-feira, 2 de abril de 2008

Bom Senso

Hoje recebi um e-mail sobre a "morte do bom senso". Reflecti.
São numerosos os exemplos do dia a dia a revelar-nos que falta bom senso nas relações entre as pessoas, na prevenção e mesmo na resolução de conflitos. Mas acredito que o bom senso continua vivo em muita gente e prevalecerá tanto mais quanto estivermos dispostos a dar o nosso contributo nos pequenos actos que dependem de cada um de nós!
Vamos contribuir para que o bom senso seja contagiante e contrariemos alguma tendência para o seu menosprezo!
Bom senso precisa-se sempre!

JM

terça-feira, 1 de abril de 2008

Felicidade

A felicidade é composta de pequenos prazeres.

Charles Baudelaire

Hoje é dia das mentiras, mas esta é uma grande verdade, subescrevo.
JM

sexta-feira, 28 de março de 2008

Menina e Moça!


Á minha "Menina e Moça"!
É dia de comemorar o seu 16º aniversário.
Ainda não parece estar longe o dia do nascimento...
Cada dia é importante como peça do puzzle da sua vida!
Estudiosa empenhada, no mundo das artes quer vencer,
Com os seus ídolos e interesses continuará a crescer!
Que o seu futuro seja como um SOL que não deixe nunca de brilhar!
JM

quarta-feira, 26 de março de 2008

Entender

É preciso entender
porque é que anda tanta gente triste
e zangada,
ás vezes parecendo indiferente
outras vezes revoltada!
É preciso entender os que gritam
e se manifestam espontaneamente,
não deixando de estar consciente
que muitos preferem
remeter-se ao silêncio!
Gostaria de ter acesso
a monólogos interiores
de certas pessoas com poder
para os poder entender!

JM

quarta-feira, 19 de março de 2008

No dia do Pai...

Lembro uma viagem de moto
durante a qual me viu adormecer
mas conseguiu evitar o acidente
segurando-me com toda a força que teve!

Pouco tempo mais tarde
não a passear com a filha
mas a trabalhar
fez a última viagem da sua vida!

Deixou a família de luto,
a terra comovida
e o seu Corvo de estimação
com uma asa "partida"!
JM

segunda-feira, 17 de março de 2008

Sociedade

Sociedade da incerteza
Pobreza
Revolta
Violência
Insegurança
Sociedade do Medo
Sociedade dos inocentes e indefesos, dos sem voz
Sociedade com muitos de mentes vazias
Sociedade de uns poucos iluminados com o "rei na barriga"!

Saber ser e viver em sociedade é
como subir uma escada sem perder o equilíbrio
é preciso saber subir degrau a degrau,
permanecer o tempo conveniente em cada,
não descer saltando do topo para a base
para não se tornar um precipício...
olhar e ver bem o meio envolvente...

Não temos de ser conformistas
Mas convém que sejamos pacientes
A sociedade do futuro tem de ser melhor
"Melhores dias virão" expressão recorrente - acreditemos nela!
JM

sexta-feira, 14 de março de 2008

Ás voltas...

Penso e repenso
e não consigo
deixar de pensar,
por mais voltas
que dê
parece que não há volta a dar!
E se querer fosse poder!...

JM

quinta-feira, 13 de março de 2008

Pombos

Quase todos os dias vejo pombos e em Sintra estão inseridos na paisagem. Hoje, entre pombos, vi um melro comendo miolos de pão que alguém espalhou pelo chão. Mais tarde no Metro de Lisboa, parecendo deslocados, voltei a ver pombos, desta vez a alimentar-se de arroz! Á falta de trigo e milho, não passam fome! Alguém cuida deles isso é um facto e o instinto e a luta pela sobrevivência faz com que não se percam nem mesmo no Metro de Lisboa!
Correm ao ritmo dos passageiros apressados, também estes na sua luta diária pela sobrevivência! A diferença está nas Asas! Quem as tem pode mudar de paragem pelo ar, quem as não tem, convém manter os pés bem assentes no chão, não deixando de acreditar que é possível voar já que mais não seja nas asas da imaginação.
JM

terça-feira, 11 de março de 2008

Uma lição ...

A mãe dissera sempre aos filhos: saltem até ao Sol!
Bom, talvez nunca poisemos os pés no Sol,
pelo menos, levantámo-los do chão.

Zora Hurston, Sonhar! Ter Fé!

quinta-feira, 6 de março de 2008

O Mar...ri e canta...e chora...


Eu queria ser o Mar de altivo porte

Que ri e canta, a vastidão imensa!

Eu queria ser a Pedra que não pensa

A pedra do caminho, rude e forte!


Eu queria ser o Sol, a luz intensa,

O bem do que é humilde e não tem sorte!

Eu queria ser a Árvore tosca e tensa

Que ri do mundo vão e até da morte!


Mas o mar também chora de tristeza...

As árvores também, como quem reza,

Abrem , aos Céus, os braços como um crente!


E o sol, altivo e forte, ao fim de um dia,

Tem lágrimas de sangue na agonia!

E as pedras...essas...pisa-as toda a gente!

Florbela Espanca

quarta-feira, 5 de março de 2008

Embalar

Fiz um conto para me embalar

Fiz com as fadas uma aliança.
A deste conto nunca contar.
Mas como ainda sou criança
Quero a mim própria embalar.

Estavam na praia três donzelas
Com três laranjas num pomar.
Nenhuma sabia para qual delas
Cantava o príncipe do mar.

Rosas fatais, as três donzelas
A mão de espuma as desfolhou.
Nenhum soube para qual delas
O príncipe do mar cantou.

Natália Correia

terça-feira, 4 de março de 2008

Cantar

A esperança é a aquela coisa com penas
que se empoleira na alma,
e canta a melodia sem palavras,
e que nunca mais deixa de cantar....

Emily Dickinson, Sonhar! Ter fé!

segunda-feira, 3 de março de 2008

Mulher

Após a leitura dos comentários de Fificat que são, por um lado, uma retrospectiva do dia da mulher que se comemora a 8 de Março e por outro, uma bela homenagem a todas as mulheres escolhendo palavras e frases sábias de uma grande mulher - Madre Teresa de Calcutá.
Por ora ocorre-me apenas reforçar o valor das mulheres nas palavras de um homem (....) poesia ou romance, música ou drama de que as mulheres não gostem, é porque não presta - Almeida Garrett, em Viagens da Minha Terra.
JM

domingo, 2 de março de 2008

Mar

De todos os cantos do mundo
Amo com um amor mais forte e mais profundo
Aquela praia extasiada e nua,
Onde me uni ao mar, ao vento e à lua.

Cheiro a terra as árvores e o vento
Que a Primavera enche de perfumes
Mas neles só quero e só procuro
A selvagem exalação das ondas
Subindo para os astros como um grito puro.

Sophia de Mello Breyner Andresen, Poesia

sábado, 1 de março de 2008

Cinzas

"Recorda-te que és pó e em pó te converterás" - excerto Biblico.
Rubem Alves a propósito de vida e morte refere as escrituras sagradas afirmando que assim como há um tempo para nascer, há um tempo para morrer e os "sábios" exigem que estejamos preparados para que a morte chegue quando a vida deseja ir.

Em vida, amada,
quando morrer
quero ser
cremada
e que as minhas cinzas
ao mar sejam lançadas,
pelas ondas sejam levadas
assim, como as marés
poderei ir e voltar!...
JM

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

Natureza...


A natureza é surpreendente!
Esta é uma das imagens que recebi hoje via e-mail e que me cativou, decidi por isso partilhá-la aqui para que cada um a observe e veja nela o que quiser...
As visões que possibilita dependem dos olhares...
JM

Beleza!

Que espírito humano será tão cego e vazio que não entenda
que o pé humano é mais nobre que o sapato que o calça
e que a pele humana é mais bela que as vestes com que a cobrimos.

Miguel Angelo (1475 - 1564)

Conceito de beleza, crítica às aparências ou apologia do pé descalço e da nudez pura e simples?!
JM

Santidade

Sua Santidade, o Dalai Lama! Reflectindo sobre o Homem e com os homens de várias culturas, pelo mundo, sobre a amizade e seja lá sobre o que for, dá-nos conselhos e abre novas perspectivas, sempre com alicerces bem firmes no Amor.
Obrigada Fificat pelo comentário, contém verdades indiscutíveis sobre as quais nunca é demais reflectir.

JM

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

Amizade



Gena é uma amiga de infância, é das amizades mais antigas que cultivo desde a escola primária. Hoje faz anos: escrevi-lhe um postal e falámos por telefone, ela não lida bem com estas "máquinas"...
É uma amiga que não obstante a distância (vive em Viseu), está muito próxima.
Uma flor, este mal-me-quer bem-me-quer simboliza a amizade, aos que nos acompanham nos maus e bons momentos, não deixando de nos querer bem em qualquer circunstância.
Com esta flor pretendo saudar igualmente uma amiga mais recente, que se tem revelado uma boa amiga, também fez anos há dias e embora mais próxima em distância, pelos afazeres pessoais, familiares e profissionais de ambas, os contactos têm-se cingido a troca de e-mails...

A amizade, como alguém disse, é das maiores preciosidades da humanidade!

JM

domingo, 24 de fevereiro de 2008

Real e imaginário



Recebi esta imagem por e-mail (desconheço o autor), achei-a curiosa e sugestiva para escrever algo e partilhar no blog.
Andar por todo o lado a falar de telemóvel tornou-se banal. Encontrar estátuas nesta pose curiosa de quem, parece estar a pôr o ouvido a jeito para ouvir uma conversa de quem passa, talvez seja único! Ao juntar as duas situações conseguiu-se fazer humor, pela montagem ou fotografia criativa, parabéns ao autor!
JM

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008

Sintra


Sintra!...
Alta Serra que as nuvens e as estrelas
Vêm como sonâmbulas beijar...
Porto Além

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008

Rumor

Acorda-me
um rumor de ave.
Talvez seja a tarde
a querer voar.

A levantar do chão
qualquer coisa que vive,
e é como um perdão
que não tive.

Talvez nada.
Ou só um olhar
que na tarde fechada
é ave.

Mas não pode voar.

Eugénio de Andrade, Poemas

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

Colar

Fiz um colar maravilhoso
Não de pérolas nem metais
Mas de segredos e amores
De loucuras e ideais
E com linha acetinada
Com que os recordava e tecia
Via a distância tão longa
Que entre nós agora havia
De quando em quando sorria
E uma ameixa seca comia
E nesta pausa de desejo vão
Era grande o sabor da insatisfação
Eu sabia que sempre que a comia
De imediato o prazer desaparecia
Não me satisfazia
Quanto mais comia mais queria
E o belo colar cresceu até mais não
O prazer do instante
Eterniza-se no momento
Mas não satisfaz definitivamente
É tudo somente uma questão de tempo
Peguei na última ameixa
Olhei-a com contentamento
Não a comi

Rosa Lapinha, Desenrolando Fragmentos de Memória

terça-feira, 19 de fevereiro de 2008

Sopa da pedra

Ao almoço saboreei um pouco de Ribatejo: pensamentos misturados com uma sopa da pedra feita em Sintra. Quem sabe se a cozinheira é oriunda daqueles lados!... pois em ingredientes e tempêro estava muito semelhante, faltando-lhe a pedra!
Viajei um pouco e recuei no tempo... tive/tenho saudades de algumas pessoas e de locais que nunca esquecerei!
As portas do Sol, permitem ter uma das visões mais abrangentes do vastíssimo Vale de Santarém e arredores e são em si mesmas um verdadeiro Sol!
Em tempo de chuva e cheias o Vale costuma inundar...
Em Sintra persiste o nevoeiro na Serra!
JM

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2008

Olhos nos Olhos

Partilham-se olhares
ás vezes olhos de água,
olhos de angústia
e ás vezes lágrimas contidas;
outras vezes,
olhos nos olhos
contagiam-se de alegria,
confiança e segurança
por estarmos no mesmo barco;
barco robusto capaz de transpor
muitos obstáculos
e que não pode afundar,
mas conduzir-nos a bom porto!

JM

domingo, 17 de fevereiro de 2008

Beijo

Cruzam-se vários planos-emoção
Num só ponto
Amizade, gratidão
A enorme alegria do reencontro
Atracção que seduz
E desse ponto-luz
Nasce o beijo!

Ofélia Bomba, A Porta de Reixa

sábado, 16 de fevereiro de 2008

Enxoval

Fiz muito croché para o meu enxoval quando era adolescente e vivia na aldeia. A tradição recomendava que se fosse fazendo o enxoval! Nos aniversários e nos Natais as prendas também eram geralmente para a "Arca", que se ía enchendo até chegar a data do casamento. O casal de namorados e depois noivos quando casavam tinham duas arcas cheias para levar para casa, cheias, essencialmente de roupas, mas também contendo outras coisas, como loiças, talheres, electrodomésticos...
Era giro ir fazendo o enxoval. Nas férias de verão fiz croché, picôs em panos de loiça para uso pessoal e alguns para oferecer e recordei esses tempos passados.
Mas a tradição já não é o que era!
Actualmente os namorados não querem enxovais, até gozam com a tradição do tempo dos pais e dos avós!
As prioridades e as perspectivas agora são outras...
Como escreveu Luís de Camões "Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades"!
JM

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008

Corações ao rubro!




Com

COnfiança

FoRça

Amor

Carinho

Anima-se

O coração

de multidões!


Viva o AMOR!

JM

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2008

Saber Viver!

O comentário (ao quadrado!) que mereceu "Contrastes" é seguramente de uma pessoa muito enamorada pela vida.
Fiquei deliciada com o poema!
Subscrevo os votos para o Dia de São Valentim que amanhã se comemora. Namorem o máximo!
De facto "é bom saber viver....deliciarmo-nos com a vida e caminhar pela felicidade".
Há demasiada negatividade no dia a dia de muita gente e isso é mostrado e por vezes, até empolado! Centremo-nos então no positivo, na esperança de dias melhores e nos momentos/dias e pessoas felizes como forma de atrair mais felicidade!
Acredito nesta "fórmula" para saber viver melhor, com mais alegria e mais felicidade.
JM

terça-feira, 12 de fevereiro de 2008

Contrastes

"Para quê fazer projectos
quando sai tudo ao contrário....
....entre o caos e o conflito
a vontade e a desordem,
não podemos ver ao longe
e corremos sempre o risco
de ir longe demais"
- ao escrito e cantado por Jorge Palma,
que gosto de ouvir e faz-me reflectir -
acrescento:
às vezes não conseguimos distinguir
entre o supérfluo, o acessório
e o essencial...
e entramos em fuga!
Essencial, essenciais são sapatos
malas, roupas, comida, bebidas...
saúde, amor, amizade...?!
Acessório(s), supérfluo(s) são relógios
cintos, bijuterias, doces....?!
Nem sempre o que parece é
e por vezes estabelecer limites
é muito difícil e resistir-lhes também.
Daí que do saudável
ao influenciável, inconsequente
e/ou irresponsável, inflexível
e até mesmo ao louco,
a distância não seja tanta,
quanta alguns,
pretensiosos sábios,
pensam e dizem!
JM

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2008

Remexer no passado...

Pois é, o fim de semana foi frutífero em remexer no passado, nos últimos anos a maternidade a família e o trabalho têm ocupado todo o tempo possível e imaginário!
Para além dos selos com que me ocupei bastante tempo e deixei de o fazer por muito tempo, aconteceu praticamente o mesmo com outras colecções: calendários de bolso (358), postais de amor - escritos e recebidos - (113) e postais comprados em vários locais visitados e enviados por familiares e amigos (296).
Desde o início da adolescência que tive interesse pelo coleccionismo, o que se mantém. O último e actual interesse tem a ver com borboletas, que colecciono em todo o tipo de material, sendo esta a colecção mais visível porque não dá para colocar em álbuns, está à vista e não consigo quantificá-la!

JM

sábado, 9 de fevereiro de 2008

Paciência...Selos

Tempo disponível, interesse e uma boa dose de paciência é necessário ter para poder colecionar seja lá o que for, mas tratando-se de selos destaco a paciência como ingrediente indispensável!
Data de meados dos anos 70 o meu interesse pela filatelia. Durante cerca de 18 anos angariei das mais diversas formas, comprando alguns, mas sobretudo pedindo e trocando, actualmente tenho três mil selos de todo o mundo.
Desde 1990 que não "mexia" neste "bichinho" que parece ter "ibernado" durante todos estes anos e hoje voltou a habitar em mim! Constato que a paciência e o interesse mantêm-se para prosseguir com a colecção, a família também se entusiasmou com os quatro álbuns que não eram manuseados há todo este tempo, persistente sou q.b.
O futuro dirá se vou conseguir conciliar este hobi, com os afazeres obrigatórios, já que o tempo é sempre tão escasso e se a colecção vai crescer proporcionalmente com o decorrer dos anos! Sem esquecer que cada vez se escrevem menos cartas e postais, sendo estes substituídos pelos e-mails e sms, daí haver menos selos em circulação para trocar e/ou guardar para a posteridade!...

JM

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2008

Sonho...

Meta
a gente busca
Caminho
A gente acha
Desafio
A gente enfrenta
Vida
A gente inventa
Saudade
A gente mata
Sonho...
A gente realiza!!!

Autor desconhecido

Aconchego

Ao fim de um dia atarefado, somatório de dias semelhantes durante uma semana, não obstante a paragem na terça feira de Carnaval, no aconchego do lar, relaxo pensando que amanhã é sábado e depois domingo!...
Mas hoje ainda é sexta e pesa-me a alma, por mim e pelos outros!
Porque é que tem que ser assim?!
Vivemos perseguindo objectivos impostos e temos dificuldade em atingir os nossos verdadeiros objectivos. O que digo reflecte-se na forma como lidamos connosco próprios e com os que nos estão mais próximos.
Não raro, ouvem-se os alertas da consciência que tentam despertar o estado de fuga que teima em não arredar pé!
JM

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2008

Números...Pessoas...

Os números e as pessoas estão, necessariamente, associados para o bem e para o mal!
Quem não tenta a sorte dos números todas as semanas (totoloto, euromilhões...)?! "Sorte no jogo, azar no amor" e vice versa diz o povo!
Mas há outras perspectivas. Recordo o meu 9º ano de escolaridade em que durante esse ano lectivo fui tratada pelo professor de matemática na escola e fora dela por nº 22, como se não tivesse nome próprio! O mesmo aconteceu com os meus colegas, supostamente por uma questão de facilidade e apetência natural do titular da disciplina. Para ele a realidade, a vida, as pessoas, o seu mundo eram números - uma visão tão reducionista que conquistou alguns "cérebros", mas afastou muitos mais!!
Porquê falar de números agora?! Simples reflexão...
Não deixa de ser caricato, mas a verdade é que ao longo dos anos e ultimamente, tenho estabelecido contactos com grupos de "pessoas numeradas" e a maioria demonstra indiferença à forma de tratamento, os próprios apresentam-se e/ou respondem pelo nº que lhe está atribuído em vez do nome que têm desde que nasceram!! No entanto, e em qualquer contexto, procuro sempre tratar as pessoas pelo seu nome próprio ou apelido, convicta de que assim contribuo para preservar a identidade e dignidade de cada um.
Partilho este pensamento anónimo de que gosto:
JM
" se não podes ser estrada,
sê caminho;
se não podes ser sol,
sê lua;
o importante é seres quem és"

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2008

Arcoíris




Após uma noite bem dormida, não sei se com sonhos, mas sem pesadelos, a primeira impressão do dia teve brinde: um arcoíris, que ao vivo estava mais nítido!

O dia acabou por se revelar igual a muitos outros, pouco colorido, com o céu menos azul e mais cinzento, a contagiar os movimentos e as mentes num dia de inverno, sem chuva e pouco frio, embora em Sintra os casacos nunca sejam demais nesta altura do ano!

Apresentaram-se novos colegas, alguns mesmo novos para mim, outros já conhecidos de outras andanças! Foi alegria misturada com alguma estranhesa o que senti. Queria partilhar entusiasmo a quem se mostra um pouco desencantada com a mudança forçada ...

Solidária não deixarei de transmitir calor humano e amizade!

JM

terça-feira, 5 de fevereiro de 2008

Amor

Só o amor dá sentido à vida....
....se não tivermos respeito e compaixão pelos outros, a nossa existência não é digna de um ser humano. Viver feliz e fazer o menos mal possível - é a vida a que os seres humanos têm direito e a que vale a pena viver.
(...) a maioria dos seres humanos interessa-se sobretudo pelo conforto material e quase nada pela religião ou pela vida espiritual. (...) Felizmente, para nos comportarmos com humanidade não precisamos de seguir uma religião, basta sermos humanos!
(...)Cultivemos o amor e a compaixão - duas coisas que dão um verdadeiro sentido à nossa vida. O resto é acessório.Mais do que o Budismo, esta é a religião simples que ensino.O seu templo é o coração. A sua doutrina, o amor e a compaixão. A sua moral, amar e respeitar os outros, sejam eles quem forem.
(...)Ser bom, sincero, pensar de maneira positiva, perdoar aos que nos fazem mal, tratar toda a gente como um amigo, socorrer os que sofrem e jamais se considerar superior aos outros.

Dalai Lama, Conselhos do Coração

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2008

Safira é uma gata...


Safira é uma gata de estimação, dispensa receber mimos. Arraçada de angorá turco, não é muito sociável, ás vezes até se torna um pouco selvagem, sobretudo com pessoas a que não está habituada! O que ela adora é dormir e dorme a toda a hora na sua cama ou em qualquer lugar que seja fofo!
JM

domingo, 3 de fevereiro de 2008

Laços


Laços especiais são aqueles que reforçam a amizade e o amor, festejando aniversários e até carnavais! Laços que perduram no tempo e no espaço, que implicam viagens que se fazem com prazer! Assim foi ontem em Queluz e hoje em Azeitão, bons momentos passados em família, saindo reforçados os laços do coração!

JM

sábado, 2 de fevereiro de 2008

Riscos

Viver é correr riscos!
Corremos riscos diariamente...
Preparados ou não, temos de dar a volta!
E demonstrar sempre tranquilidade...
JM

" Não é digno de saborear o mel
aquele que se afasta da colmeia
por medo das picadas das abelhas."

Shaskespeare

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2008

Tempo...

Tempo de solidão e de incerteza
Tempo de medo e tempo de traição
Tempo de injustiça e de vileza
Tempo de negação

Tempo de covardia e tempo de ira
Tempo de mascarada e de mentira
Tempo que mata quem o denuncia
Tempo de escravidão

Tempo dos coniventes sem cadastro
Tempo de silêncio e de mordaça
Tempo onde o sangue não tem rastro
Tempo de ameaça

Sophia de Mello Breyner Andresen, Poemas

quinta-feira, 31 de janeiro de 2008

O tempo Voa!

Vivemos a um tal ritmo que mal nos apercebemos, já passou um dia, uma semana, um mês, um ano....O tempo não chega para tudo, às vezes falta tempo para o essencial!
Mas também acontece o inverso. Ás vezes o tempo não passa à velocidade que queremos e até temos a sensação que o tempo pára! Em certas situações instala-se a frustração...o impasse...a desmotivação e outras coisas mais, que são inimigos do entusiasmo e da boa disposição.
Prefiro o tempo a voar!
JM

terça-feira, 29 de janeiro de 2008

....Ouvidos e Ouvintes...

Cada caso é um caso! Sem querer generalizar, certo é que, uns mais que outros, conforme a sua maneira de ser e estar na vida, em casa, no trabalho ou em qualquer lugar, ao falarmos somos ouvidos e somos ouvintes. Contamos e/ou ouvimos histórias breves ou longas, consoante o tempo que temos para dedicar-lhe e/ou tendo em atenção o interesse de quem ouve.
Por vezes, e em certos contextos, não querendo ser indelicados, somos "obrigados" a ouvir histórias intermináveis e repetitivas que apenas servem para aliviar quem as conta!
Hoje sinto-me cansada por ter ouvido tanto, embora tenha consciência que fui útil a quem precisou tanto de falar!
Para além de mera ouvinte tentei ser ouvinte activa!
Destaco dois momentos em que fui "companheira de viagens" cujos itinerários foram da Ericeira a França, passando por Barcelona e do Cacém até à Guiné, ída e volta. A primeira uma história alucinante no mundo da droga incluindo o seu tratamento e uma grande lição de vida; a segunda, doença também misturada com pobreza económica e cultural e muita expectativa!...
Sonhar é sempre possível!
A realidade é o que é...com alguns escapes, que por vezes se tornam círculos viciosos!...
Ouvidos às vezes compreendidos, ouvintes às vezes capaz de alertar para que os itinerários futuros a traçar sejam outros bem diferentes!
JM

segunda-feira, 28 de janeiro de 2008

...Acreditar...Lutar...

A glória do mundo é transitória e não é ela que nos dá a dimensão da nossa vida - mas a escolha que fazemos de seguir a nossa lenda pessoal, acreditar nas nossas utopias e lutar pelos nossos sonhos. (...)
Cada pessoa pode ter duas atitudes: construir ou plantar.
Os construtores um dia terminam aquilo que andaram a fazer e ficam limitados pelas suas próprias paredes. Os que plantam sofrem com as tempestades, as estações, mas o jardim nunca pára de crescer.

Paulo Coelho, Brida

domingo, 27 de janeiro de 2008

Pequenas coisas...

"Pequenas coisas" - foi assim hoje uma despedida de um curto
encontro entre amigos!
Pois é, mas o importante não é o tamanho nem a duração das coisas, é o conteúdo e a intenção.
Como alguém disse " algumas coisas pequenas podem estar cheias de amor e outras maiores podem estar vazias" e ainda "não importa quanto tempo vives, o que importa é quanto desfrutas".
Assim, acho que trocámos coisas com significado e aproveitámos bem o tempo que passámos juntos nesta parte de tarde de Domingo!
JM

Sementes


"Semear para colher"...
É verdade no campo e na cidade!
No campo as sementeiras são diversas
assim com os frutos e os produtos
que variam de época para época.
Na cidade também há quem queira semear
e quem esteja impedido de o fazer:
lembro as hortas de africanos
ao longo da IC19, tendo muitas
sido substituídas por jardins....
Os jardins são bonitos de ver,
mas não alimentam famílias!
Ninguém pensou certamente
nos prejuízos causados a esta gente
quer em termos económicos ,
quer em termos culturais!
Sensibilidade precisa-se,
sementes de humanismo
e bom senso parece
que estão a perder-se!
JM

sábado, 26 de janeiro de 2008

Conselho

Sê paciente; espera
que a palavra amadureça
e se desprenda como um fruto
ao passar o vento que a mereça.
Eugénio de Andrade

Sabores

Distingo o café,como o sabor
dos sabores!
Também pelo seu aroma e côr!
Tornou-se um hábito
a que é difícil resistir;
para muitos é estimulante,
para mim é revigorante,
faz-me sentir melhor!
Só ou com alguém
é um prazer,
mesmo pagando a dobrar
quando tomado à beira-mar!
É que os olhos também bebem...
e esse é o preço a não lamentar!
Pelo contrário, deve repetir-se
muitas vezes, para alimentar sorrisos,
encontros, connosco e com os outros!!

JM

sexta-feira, 25 de janeiro de 2008

Sobrevivente...

No limite do sofrimento,
quando à sua volta a morte acontecia
sucessivamente
e podendo ser a próxima vítima,
com medo de adormecer
por poder não acordar,
manteve a força e muita energia!
Franzina, sentia-se impotente
mas não perdeu a fé,
e resistente
enfrentou a dôr
como uma montanha!
Alguns anos passaram
e agora sem nada temer
tem outra perspectiva da vida:
"viver cada momento como se fosse o último",
e sem deixar de pensar nos outros,
nunca mais abdicar de si própria!

Licões de vida como esta, fazem-nos reflectir....
JM

quinta-feira, 24 de janeiro de 2008

Morrer....Viver!

Morre lentamente quem não viaja,
quem não ouve música,
quem destrói o seu amor-próprio,
quem não se deixa ajudar.

Morre lentamente quem evita uma paixão
quem prefere o "preto no branco" e os "pontos nos is"
a um turbilhão de emoções indomáveis,
justamente as que resgatam brilho nos olhos,
sorrisos e soluços, corações aos tropeços, sentimentos.
(....)
Morre lentamente quem não arrisca
o certo pelo incerto atrás de um sonho,
quem não se permite, uma vez na vida,
fugir dos conselhos sensatos.

Morre lentamente quem passa os dias
queixando-se da má sorte ou da chuva incessante,
desistindo de umprojecto antes de iniciá-lo.
Não perguntando sobre um assunto que desconhece
e não respondendo quando lhe indagam o que sabe.

Evitemos a morte em doses suaves, recordando sempre que estar vivo exige um esforço muito maior do que o simples acto de respirar.
Estejamos vivos então!

Pablo Neruda

quarta-feira, 23 de janeiro de 2008

Folhas....Troncos

"Folhas Caídas" foram escritas por Almeida Garrett, li-as há muitos anos e recomendo a leitura.
Mas não é dessas folhas que quero falar aqui e agora.
Equanto folhas de árvores, há muito que dizer delas, quando estão lá em cima e quando caiem,dão-nos sombra e depois são pisadas!
...são roupagem, são abrigo onde as aves se aninham...
purificam o ar que respiramos em qualquer estação; caiem lentamente no outono; dão trabalho a muita gente: Jardineiros, conservadores de parques e ruas; madeireiros, industriais e comerciantes do papel! E infelizmente, sobretudo no verão ocupam muitos bombeiros pelo elevado número de incêndios que deflagram e destróiem muitas folhas, muitos troncos, muitas árvores!
Os troncos começam por ser rebentos... tornam-se suporte e dão forma ás arvores!
Folhas secas caídas e um pequeno tronco têm sido nos últimos dias matéria-prima para trabalhos de educação visual e de desenho das minhas filhas e muitos outros estudantes.
O que é admirável e é condigno com a natureza.
Admiro particularmente o Plátano e a forma das suas folhas, lembro-me sempre do enorme e emblemático plátano que existe em Portalegre, que já conheci grande, sendo eu criança!

terça-feira, 22 de janeiro de 2008

Cicatrizes

Cicatrizes são marcas de feridas
feridas que sararam
com o tempo, consoante
a profundidade e as situações...
Algumas cicatrizes mal se notam,
outras são mesmo invisíveis,
sentem-se por vezes,
e tansporto outras tão sensíveis
como o orgulho de ser mãe!

Dedico estas palavras a uma grande amiga, hoje no seu dia de aniversário, ela que ajudou a nascer as minhas duas filhas, dá alegria a tanta gente e também é uma mãe orgulhosa.
JM

segunda-feira, 21 de janeiro de 2008

...Flores...


A imagem foi-me enviada por e-mail pela amiga Teresa, que achei uma ternura e de certa forma pode ilustrar o breve apontamento que se segue.

Rodeado de verde, labiríntico, multicultural, conotado com marginalidade e delinquência juvenil, apelidado por alguns moradores como "bairro dos índios", subindo pelas escadas de um prédio vandalizado e totalmente descuidado em termos de limpeza, surpeendi-me pela positiva ao chegar ao último piso. Quando a porta se abriu, foi como se no cimo de um monte de estrume, ou no meio de um lixeira, tivesse encontrado um canteiro de flores!

Estas situações fazem-nos reflectir! De facto há muitas coisas e/ou situações que não podem escolher-se, neste caso concreto, falo dos vizinhos num bairro de realojamento social; muitas pessoas sentem-se bem onde estão, muitas outras gostariam de poder escolher outros vizinhos e outro lugar para viver!

JM









domingo, 20 de janeiro de 2008

Sorriso de criança

Sorriso de criança, fresco, puro
Continua assim
És desta vida oásis bem seguro
Que encontrei para mim.

Ou tinir de cristal, cantar da fonte
Talvez... voz do mar,
Um belo e calmo pôr do sol no horizonte
Ou um raio de luar.

Tudo quis igualar ao teu sorriso
Mas não consegui.
Talvez exista, só no paraíso,
O eco em ti.

Ofélia Bomba, A Porta de Reixa - Poemas

sexta-feira, 18 de janeiro de 2008

Metamorfose

Repara: - a imóvel crisálida
Já se agitou, inquieta,
Cedo, rasgando a mortalha,
Ressurgirá borboleta.

Que misteriosa influência
A metamorfose opera!
Um raio de sol, um sopro
Ao passar, a vida gera.

Assim minha alma, inda ontem
crisálida entorpecida,
Já hoje treme, e amanhã
Voará cheia de vida.

Tu olhaste - e do letargo
Mago influxo me desperta:
Surjo ao amor, surjo à vida
A luz de uma aurora incerta.

Júlio Dinis, Poesias

quinta-feira, 17 de janeiro de 2008

Retrocesso

De sonho a pesadelo!...
Um sonho que durou pouco
Um pesadelo que parecia interminável...
Sonho realizado parcialmente
e apenas temporariamente,
com muitos sacrifícios...
Talvez durasse ainda
se tivesse prestado
a esperada vassalagem,
"sem tugir nem mugir"!
Os diálogos iniciais
foram substituídos
por monólogos
e demasiados silêncios!
Utilizando a linguagem
tauromáquica da região:
um dia o barrete saltou-me
e na arena ribatejana ficou
a fera, temperamental,
indomável e caprichosa!
A alternativa foi o retorno à capital...
recordarei sempre pessoas,
que entretanto conheci
e o local, que foi mero ideal para viver!
JM

Contradições

São tantos os condicionalismos em que nos movemos no nosso dia a dia dito "normal", que dou por mim a reflectir no pleno sentido contido num dos livros de Daniel Sampaio "Vivemos livres numa prisão"! Esta prisão a que se refere não tem grades de ferro, mas tem outras, muitas vezes, não menos difíceis de transpôr!
Diariamente estamos a testar e a ultrapassar os nossos limites e, às tantas, até temos dificuldade em dar sentido ao que fazemos!
Sabemos que para cumprirmos a nossa missão profissional e nos habilitarmos a "prémios tabelados", quase inacessíveis ao cidadão comum, temos de nos desdobrar, ainda que, por vezes, tenhamos dificuldade em nos encontrar!
Com tantos "códigos cozinhados", cujos principais ingredientes parecem ser alianças, interesses e/ou cumplicidades, que não olham a meios para atingir fins ... neste caos legislativo actual, quem sabe se para quem não conseguir que as estatísticas libertem as prisões em tempo recorde, alguns de nós em "liberdade", não ficamos verdadeiros reféns da injustiça e da insegurança que já se vivem!!!!!!
E nessa medida não será exagerado afirmar que muitos indivíduos privados da liberdade, embora estando em prisões de facto, não estão assim tão presos quanto outros se sentem nesta prisão global de grades invisíveis, mas que sufocam lentamente.
Parte significativa da população portuguesa vive mal, com as despesas a absorverem e a ultrapassarem os rendimentos; muitas famílias vivem de contas vencimentos e de créditos bancários; outras de rendimentos de inserção social pagos pela segurança social e subsídios de desemprego (a serem suportados pelos contribuintes) e outras famílias há ainda que parecem sobreviver apenas por obra e graça do espírito santo!!!
Não é esta a sociedade que queremos,mas é a que temos. Que fazer?! Não será concerteza sacrificar mais a classe média...
JM

quarta-feira, 16 de janeiro de 2008

...Loucura...

O guerreiro da luz olha a vida com doçura e firmeza.
Está diante de um mistério, cuja resposta encontrará um dia.
Volta e meia, diz para si mesmo: "Mas esta vida parece uma loucura".
Ele tem razão. Entregue ao milagre do quotidiano, apercebe-se de que nem sempre é capaz de prever as consequências dos seus actos. Às vezes, age sem saber que está a agir, salva sem saber que está a salvar, sofre sem saber porque está triste.
Sim, esta vida é uma loucura.
Mas a sabedoria do guerreiro da luz consiste
em escolher bem a sua loucura.

Paulo Coelho, Manual do Guerreiro da Luz

Amigos são espelhos...

Amigos são espelhos falantes,
dão-nos a nossa imagem reflectida
vendo para além dela!
Alguns são raros, sensíveis,
de uma generosidade inesgotável,
direi mesmo que são insubstituíveis!
Alguns parecendo casulos
transformam-se em
lindas borboletas,
que admiro e colecciono!
Não concebo a vida sem a amizade.
Li algures que "a amizade não se vende
não se troca, dá-se", acrescento:
não se agradece,
merece-se!
JM

terça-feira, 15 de janeiro de 2008

Para ti amiga

... olhas nos olhos
que não negas
o sorriso a palavra forte e justa
... para quem
o nada disto custa
Será que existe
lá para as margens do oriente
Este rio este rumo esta gaivota
Que outro fumo deverei seguir
na minha rota?

José Afonso, Utopia

Por antecipação, publico hoje para desejar
um feliz dia de aniversário amanhã,
a uma grande amiga, uma boa pessoa,
profissional empenhada e dedicada,
com quem certamente não vou poder estar!
Que nunca deixes de sorrir!
Os parabéns só no próprio dia e em voz, ao menos isso!
JM

segunda-feira, 14 de janeiro de 2008

Falta de tempo?!

Ocupados com os nossos problemas, consumidos pelo dia a dia de trabalho, absorvente, desgastante, centrado nos outros, muitas vezes acabamos por nos esquecer, arranjar desculpas ou adiar pequenos gestos perante outros, que também são nossos ou são parte de nós!
Alguns estão distantes, outros muito próximos!
Ás vezes reagem sentidos, chamam a atenção ou simplesmente ficam calados, tentando compreender, deduzindo e/ou tirando as suas conclusões...
Mera falta de tempo?! Falta de ...bom senso...solidariedade...ou incapacidade...desinteresse...indiferença...desleixo?!
Dependerá das pessoas e das situações, nalguns casos poderá ser por falta de coragem, para lidar com uma doença grave por exemplo.
E quando finalmente arranjamos essa coragem, ficamos surpreendidos com a força que encontramos!
Pode estar em causa uma perspectiva de agarrar todo o tempo para que ele não falte!
JM

Green God

Trazia consigo a graça
das fontes quando anoitece.
Era o corpo como um rio
em sereno desafio
com as margens quando desce.

Andava como quem passa
sem ter tempo de parar.
Ervas nasciam dos passos,
cresciam troncos dos braços
quando os erguia no ar.

Sorria como quem dança.
E desfolhava ao dançar
o corpo, que lhe tremia
num ritmo que ele sabia
que os deuses devem usar.

E seguia, o seu caminho,
porque era um deus que passava.
Alheio a tudo o que via,
enleado na melodia
duma flauta que tocava.

Eugénio de Andrade, Poemas

domingo, 13 de janeiro de 2008

Queria...


Queria ser vento no Guincho,
ter liberdade em todas as direções
voar bem alto como gaivota,
poder escolher as estações
como as andorinhas,
e também como elas
trabalhar o barro, a argila
ou mesmo a lama!
Queria ser frágil e resistente,
e poder conviver
com as algas marinhas,
ter muitos braços e mãos
como o polvo,
mas conseguir sobreviver
à pesca submarina,
e não encontrar certos humanos!
Queria ser duna salpicada pelo mar,
ter a beleza
e a pureza
das flores silvestres,
as cores e o perfume
dos lírios do campo,
a leveza
dos nenúfares
e assim flutuar,
e olhar o sol sem limites!
Sem me esquecer da terra,
queria ainda voar
nas asas de uma pomba branca
e poder anunciar
ao mundo o fim da guerra!
JM

sábado, 12 de janeiro de 2008

Relíquias


São mesmo relíquias do passado,
estes ferros de engomar,
se falassem teríam muitas histórias para contar!
O maior pertenceu a meu pai, que por sua vez
já tinha sido do seu avô, com quem aprendera
a primeira profissão: alfaiate, que exercera
desde muito novo em Marvão,
onde fez e engomou muitos fatos para a população.
Depois decidiu ser polícia, rumou até Tomar
e em Rio Maior,continuaria a fazer fardas,
já sem contar com o seu ferro aquecido a brasas!
O outro pertenceu à minha avó materna,
serviu para engomar a roupa da família,
sendo seis pessoas lá em casa!
JM

sexta-feira, 11 de janeiro de 2008

Ser grande


Para ser grande, sê inteiro: nada
Teu exagera ou exclui.
Sê todo em cada coisa.
Põe quanto és
No mínimo que fazes.
Assim em cada lago a Lua toda
Brilha, porque alta vive.
Fernando Pessoa

Sinais

Deixar ficar algo em algum lugar, de vez em quando, é normal.
Ao fim de uma semana intensa e tensa pode ser apenas um alerta,
pode ser distração, cansaço ou necessidade de abstração!
Hoje estive um pouco aérea, tive vários sinais, que dariam para "levantar voo!"
De manhã, esquecia-me de comer; á hora de almoço, esqueci-me do chapéu de chuva (embora não chovesse, de tarde não voltei para o mesmo local); ao final do dia esqueci-me da mala e só dei pela sua falta ao subir para ao autocarro. Não tinha carteira, passe nem chave do serviço para voltar atrás!
E não tinha meios para prosseguir...
Valeu-me uma colega que ainda estava por perto.
Ás vezes parece que ando no ar
mas faltam-me as asas para voar!
JM

quarta-feira, 9 de janeiro de 2008

Dar...Ter...Ser...

Se não devemos exigir a ninguém
mais do que lhe é possível dar
e não se deve dar à espera de receber,
será inquestionável que ninguém
pode dar o que não tem.
Também é certo que muita gente
quer ter o que não pode
e até finge viver
embora sobreviva,
outras vezes
é obrigada
quase a vegetar
e até da sua dignidade
tem de abdicar!
No limite,
deixam de ser quem são!

Deixão igualmente de sê-lo
as pessoas que faltam
com a sua palavra,
adiam planos e projectos
e ignoram o impacto
causado nos outros.
Não convencem
e certamente,
estão pouco convencidos
de alguma coisa!

Neste tempo de dúvidas
e incertezas,
a essência do Ser
estará na capacidade
de mantermos a lucidez
e muita fé para acreditar
que por detrás
do preto e do cinzento
está o branco!
JM

Como alguém disse:
"Meu Deus
Dai-me a serenidade
para aceitar as coisas
que não posso mudar,
a coragem para mudar
aquilo de que sou capaz
e a sabedoria para ver
a diferença"

terça-feira, 8 de janeiro de 2008

Frutos...Raízes

Descascando uma tangerina
lembro-me
do meu tempo de menina,
de duas enormes tangerineiras
plantadas à porta de casa,
cenário de muitas brincadeiras
com a minha irmã
e as minhas primas.
Para sempre guardo recordações
do tempo em que fazíamos casinhas
e bricávamos às vizinhas,
comíamos muitas nozes
e também romãs.
Aqui não há árvores de fruto por perto!
Existe a rua da milharada
a lembrar outros tempos
em que terá sido cultivado o milho!
Se também havia romeiras,
nogueiras e tangerineiras...
não resistiram à indústria do betão!
Foram substituídas por prédios,
e mais prédios, carros e multidões
vindas dos vários cantos
do país e do mundo...
em busca de melhores condições!!!
Quantos as terão encontrado?!
Quantos se integraram?!
E quantos continuarão à procura
das suas raízes?!
JM

sábado, 5 de janeiro de 2008

Reticências

Arrumar a vida, pôr prateleiras na vontade e na acção.
Quero fazer isto agora, como sempre quis, com o mesmo resultado;
Mas que bom ter o propósito claro, firme só na clareza, de fazer
qualquer coisa!
Vou fazer as malas para o Definitivo...
E amanhã ficar na mesma coisa que antes de ontem...
Sorrio ao menos: sempre é alguma coisa o sorrir...
Produtos românticos, nós todos...
E se não fôssemos produtos românticos, se calhar não seríamos nada...
Assim se faz a literatura...
Santos Deuses, assim até se faz a vida!

Os outros também são românticos,
Os outros também não realizam nada, e são ricos e pobres,
Os outros também levam a vida a olhar para as malas a arrumar
Os outros também dormem ao lado dos papéis meio compostos,
Os outros também são eu.
(...)
E o meu sorriso, que ainda não acabara, inclui uma crítica metafísica.
Descri de todos os deuses diante de uma secretária por arrumar...

Fernando Pessoa, in Poesias de Álvaro de Campos

quinta-feira, 3 de janeiro de 2008

Insónia...vendaval

O vento forte e a muita chuva lá fora deixaram-me com insónia...
Passo a pente fino o dia de trabalho que incluíu uma agradável passagem pelas Azenhas do Mar e Praia das Maçãs.
Isto após uma necessária, embora não tão agradável, visita domiciliária em Fontanelas. Constatado o estado de desorganização geral de uma família desestruturada, que apesar de tudo ainda pode revelar alguma lucidez, ao tentar justificar o estado de autêntico caos exterior como consequência de um vendaval recente!!
Vendaval que também parece ter entrado em casa!!!!
Que bom seria, se como trabalhadores sociais, pudéssemos ser verdadeiros agentes de mudança! Mas na verdade, na maioria das situações, o querer fica muito áquem do poder!!
Acordei e chovia torrencialmente, embora longe de um cenário de vendaval ...
JM

terça-feira, 1 de janeiro de 2008

Luar em São Mamede


Casa Nova é um lugar situado numa das encostas da Serra de São Mamede; dista 25 Km da cidade de Portalegre e 12 Km da aldeia espanhola Codozera. Neste lugar residem apenas sete viúvas idosas que vêem todos os dias a mesma paisagem, ainda com marcas da negritude causada por um grande incêndio que deflagrou na zona há três anos; a contrastar com o enorme silêncio, a àgua da ribeira circula apressadamente e causa um ruído natural que anima os residentes e os visitantes de fins de semana e férias!
Um luar é belo em qualquer lugar!
Portalegre é triste e alegre!
Foi nesta cidade que estudei entre o 5º e o 11º ano, guardo das melhores recordações e também o contrário!Nela continua a viver grande parte da minha família e alguns amigos e ex-colegas de escola (alguns já partiram)...
Foi em Portalegre que passámos em família as últimas horas de 2007 e as primeiras de 2008. Como manda a tradição, à medida que fui comendo as doze passas, fui formulando mentalmente os desejos para o Novo Ano!
Já de madrugada, foi tempo de ler e identificar-me um pouco com José Régio.
Excerto da leitura: "Portalegre e os seus arredores já tem para mim - agora - uma sedução quase inquietante (...) permitindo-me as mais aventurosas viagens de espírito (...) pode viver aqui um pouco de eternidade (...) Porque a solidão de Portalegre não me faz esquecer de nada - antes me faz lembrar, talvez demasiado de tudo: passado, presente e futuro".
José Régio, poeta natural de Vila do Conde, fixou residência nesta cidade do alto alentejo e onde terá escrito a parte mais importante da sua obra, é actualmente a sua Casa-Museu, com todo o seu espólio, digna de ser visitada. Aqui fica a sugestão.
JM